Ensino Médio tem Nova Reforma Curricular

Entenda os principais pontos da reforma do Ensino Médio e veja as defesas e críticas à essa Medida Provisória apresentada pelo governo federal.


O plano de reforma do Ensino Médio gerou muita polêmica nas redes sociais e centros acadêmicos.

Proposto pelo governo da então presidente Dilma Rousseff, o projeto visa unificar o currículo escolar tornando-o mais flexível.

O objetivo é oferecer um currículo com foco maior na oferta do ensino em tempo integral, diminuindo o número de matérias obrigatórias e transformando algumas em matérias opcionais.

A reforma tem gerado muitas críticas, mas também tem recebido alguns elogios de especialistas em educação.

O Que Muda Com A Reforma do Ensino Médio?

Uma das principais mudanças da reforma no Ensino Médio é no número de disciplinas obrigatórias.

Hoje são 13 disciplinas obrigatórias, mas o projeto prevê que Artes e Educação Física se tornem facultativas.

Ainda em relação a isso, o inglês passa a ser obrigatório nos três anos do curso e outras línguas estrangeiras podem ser oferecidas pelas escolas como optativas.

Outra grande mudança é em relação ao número de horas de aula por dia, que com a mudança passa a ser de 7 horas.

Estender o horário de aulas diárias é uma das primeiras mudanças rumo ao ensino integral que deve mudar a rotina dos adolescentes.

Nova Reforma Curricular no Ensino Médio

Ainda faz parte dessa mudança do Ensino Médio permitir que a partir do segundo o ano o aluno escolha disciplinas opcionais em cinco áreas do conhecimento.

São elas: linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e formação técnica e profissional.

Nesses casos, o aluno que escolher uma matéria que a escola não ofereça terá que procurar uma outra instituição.

Esse é um dos pontos mais criticados do projeto, pois fará com que o aluno troque de escola.

Defesas do Programa para o Ensino Médio

Quem defende o programa afirma que as 13 disciplinas obrigatórias trazem excesso de conteúdo aos estudantes.

Essa tese é defendida por quem acredita que ter muitas disciplinas faz com que o muito se torne pouco, ou seja, no currículo escolar há muitas exigências, mas o aluno, de fato, não aprende muita coisa.

Aumentar a carga horária também é algo que irá ajudar os alunos a aproveitarem melhor o tempo na escola.

Hoje o curso tem 800 horas por ano, com a nova reforma do Ensino Médio o tempo aumenta para 1,4 mil horas.

Com mais tempo, os professores poderão preparar melhor esses estudantes.

Assim, segundo a proposta, o ensino será melhor e com mais qualidade.

Sobre o aluno decidir as matérias a partir do segundo ano, especialistas afirmam que é uma boa medida, pois dará ao aluno a opção de escolher disciplinas que ele irá utilizar na faculdade.

Críticas Ao Projeto Apresentado

O texto ainda não foi aprovado, se por um lado muitos elogiam as mudanças, por outro há muitas críticas.

Uma das maiores críticas é feita pelos grupos de professores, que questionam a falta de debate antes da Medida Provisória entrar em vigor (ainda será votada no Congresso).

Esse grupo acredita que sem um debate, essa mudança no Ensino Médio será mais prejudicial ao sistema de educação básica.

Alguns chegam a dizer que a proposta do governo irá desorganizar o sistema, principalmente na mudança feita no currículo escolar.

Facebook Twitter Google Plus WhatsApp
Sobre o autor: Mais deste autor.